FUDENDO O CÚ DA CACHORRA DA MINHA AMIGA

Publicado: janeiro 9, 2013 em Contos eróticos, Zoofilia

Essa historia que vou contar aconteceu com uma amiga minha, e acabei me envolvendo também, desde a infância sempre fomos muito próximos, nossos pais freqüentavam a casa um do outro, e assim fomos crescendo juntos, e estreitando os laços de intimidade. Minha amiga tinha uma cachorra vira latas de porte médio que a acompanhava para onde ela fosse, as vezes era até estranho porque a cachorra tinha um ciúmes tão grande que chegava a avançar nas pessoas se chegássemos muito próximos da Andressa. Nesse dia fui eu e minha mãe na casa da Andressa, e chegando lá como eu já conhecia bem a casa, a mãe dela disse para eu ir até o quarto que a Andressa estava La vendo TV, como a TV estava muito alta, eu nem bati e fui entrando… Assim que a porta abriu eu vi a Andressa em cima da cama sentada na cachorra poli, que estava com a barriguinha pra cima e a língua na buceta da Andressa.

Eu entrei e fechei a porta rapidinho, e as duas nem perceberam minha entrada, então me aproximei e vi nitidamente que a minha amiga estava com dois dedos dentro da xana da cachorra, enquanto a “coitada” rebolava e socava a língua e o fucinho na buceta da Andressa. Fiquei bem quieto olhando, Andressa mordia os lábios vermelhos e enfia quase todo o dedo dentro da cachorra, eu estava vendo a hora dela cair de boca na xana carnuda da cachorra. Assim que percebeu minha presença, Andressa continuou, rindo e rebolando no focinho da cachorra, disse que eu tinha descoberto seu segredo.

Assim que gozou umas duas, três vezes na boca da cachorra, Andressa saiu de cima, e a safadinha da cachorra continuava imóvel de pernas arreganhadas e a xana arrombada! Andressa foi tomar banho, e eu fiquei na porta do banheiro esperando, depois veio as perguntas! Eu nunca tinha visto ou ouvido falar em zoofilia e queria saber como aquilo era possível, Andressa me contou tudo desde o começo, disse que assim que a cachorrinha poli apareceu em sua casa ainda muito pequena, ela passou a observar e estranhar o comportamento da cachorra, principalmente sua xana que estava toda machucada e aberta, então certa vez dando banho na cachorra Andressa enfiou um dedo dentro da xana da cachorra que ficou imóvel, abanando o rabinho como se quisesse mais! Andressa então colocou o segundo dedo dentro da cachorra que parou de gruir e ficou curtindo. Minha amiga acabou matando a charada, algum marmanjo estava usando a xana da pobre cachorrinha, que tinha ficado viciada em pica.

Logo depois disso Andressa passou a dar banho sempre na cachorra e se agachando enfiava os dois dedos na xana da cachorra, certa vez segundo ela, aquilo lhe deu um puta tesão, e mesmo com medo, não teve duvidas e foi até a geladeira, pegou uma pasta de amendoim, voltou pro banheiro, rancou a calcinha, se melecou o Maximo que podia, e sentou de maneira que a cachorra ficava com a cara enfiada na bunda dela e ela livre pra socar os dedos na cachorra! Essa historia da Andressa me pareceu mirabolante e uma grande mentira, se eu mesmo não tivesse presenciado a foda das duas. Mas isso serviu para aumentar nossa intimidade, com o passar do tempo fui ficando envolvido pela situação, e logo punhetava ao lado da cama vendo as duas cachorras trepando. Eu já tinha uma pica grandinha, 16 cm ereto e duro feito um ferro, aquilo chegava a doer de tanto tesao, eu olhava para a bundinha branquinha da Andressa com o cu quase atolado no focinho da cachorra e ficava imaginando se qualquer dia ela não gostaria de sentar na minha pica! Certa vez não agüentando mais, corri até a geladeira e passei maionese na pica pra cachorra lamber, no inicio ela ralhou comigo e parecia interessada na Andressa, mas minha amiga enfiou o terceiro dedo, e a cachorra não se fez de rogada e abocanhou meu pau, aquilo ela mamava gostoso, no começo meio desajeitada com aquela longa língua passando nas minhas bolas e pela virilha, mas pouco tempo depois, a cachorra vadia mamava pica feito um bezerro.

Passaram alguns meses e aquela masturbação estava ficando sem graça, Andressa estava cada dia mais insuportável, mais ciumenta, e agora quando eu chegava em sua casa a cachorra estava presa no fundo da lavanderia, e Andressa dormindo! Era frustrante.

Numa tarde de sábado, ouvi minha mãe combinando com a mãe da Andressa lanchar no shopping, Andressa estava a uma semana na casa dos avós, e a “coitadinha” da poli sozinha, então me ofereci para ficar na casa dando banho e brincando um pouquinho com minha amiguinha. Minha mãe achou ótimo, pois não gostava de me deixar sozinho. Meu tesao já estava a mil, tive que colocar moleton largo pras duas não perceberem minha barraca armada kkkkkkkk

Sozinho na casa fui direto pra lavanderia e soltei a poli, ela pulava e me lambia, resolvi dar aquele trato na cachorra debaixo do chuveiro, mas para a minha surpresa a vadia deitava e arreganhava as pernas pra cima, fiquei lembrando de como a Andressa fazia e decidi que não ia ficar com a bunda na cara da cachorra não! Corri na geladeira e apelei para a maionese, mas a cachorra estava interessada era em levar pica no cu! Não teve jeito, peguei ela com força, virei o traseiro dela pra mim, puxei o rabo e soquei meus 16cm sem dó, a xana da cachorra era macia, quentinha, dava vontade de enfiar até as bolas, eu fiquei naquele vai e vem gostoso até esporrar a ultima gota na cachorra, depois que terminei ela abriu os olhos e começou a se lamber. Eu achei aquilo maravilhoso! A cachorra tinha tirado meu cabacinho! Eu estava doido, alucinado, meu pau permanecia ereto pronto pra outra, deixei a cachorra lamber um pouquinho de porra, mas como queria mais, virei o traseiro dela de novo, e soquei a pica naquela xana arrombada, enquanto eu metia perguntava se ela estava gostando de levar pica de verdade, chamava ela de arrombada, erguia o rabo dela pra ver minha pica entrar e sair, e foi quando vi aquele cuzinho apertadinho piscando, perfeitinho, com as preguinhas rosadas, não tive duvidas, peguei o creme de cabelo e lambuzei meu pau, a cachorra percebendo que eu estava doidão tentou fugir, mas a porta do banheiro estava trancada. Abaixei a tampa do vaso sanitário coloquei ela em cima, segurei firme pelo rabo e forcei a pica naquele cuzinho lindo, ela esperneou e tentou fugir, mas eu estava decidido a arrombar aquele cuzinho, então com uma Mao segurei no focinho dela, e comecei a bombear a entradinha do cuzinho, quando percebi que ela estava mais relaxada, empurrei com tudo, sentindo as pregas da cachorra abrirem uma a uma, ela ainda tentou me morder, mas eu estava firme segurando em seu traseiro e fiquei quietinho curtindo e esperando ela se acalmar. Que cuzinho apertadinho delicioso, comecei o vai e vem sem dó nem piedade, a vadia parecia que gostava, já tinha até fechado os olhos, eu bombava forte, e sentia que a qualquer momento ia explodir o cu da cachorra com tanta porra! Passado uns 30 minutos, resolvi tirar a pica e deixar ela descansar, aquilo escorria porra do cu pelas pernas da cachorra, acho que gozei umas 3 vezes sem tirar de dentro. Com certeza foi minha melhor foda!

Tomei um bom banho, lavei o cuzinho da cachorra que estava todo arregaçado, dei água e comida pra ela e a deixei solta, entrei e fui pro quarto da Andresa ver TV, uns 15 minutos depois a cachorra entrou no quarto e deitou no pé da cama, eu só olhei pra ela e senti o Thor dar sinal de vida de novo, não pensei duas vezes, segurei no traseiro da cachorra e atolei sem dó a pica naquele cuzinho arrombado, fiquei bombando ali mais uns 15 minutos, e ela quietinha esperando eu terminar meu serviço.

Quando minha mãe me chamou pra irmos pra casa, já era quase anoitinha, eu estava largado na cama e a cachorra deitada na minha barriga. Minha amizade com a Andressa nunca mais foi a mesma, mas mesmo assim sempre que eu tinha oportunidade ia até a casa dar um trato naquele cuzinho que era só meu! Fiquei fudendo a cachorra por mais 4 anos, mesmo namorando eu não perdia oportunidade de enrabar a cachorrinha vadia da minha amiga, a cachorra morreu, fiquei muito triste e por pouco não chorei! Andressa jurou nunca mais ter animal algum, e até o dia de hoje esta cumprindo a promessa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s